Ombro e cotovelo

Ombro estalando? Saiba quando se preocupar!

Homem com o ombro estalando

A estrutura dos ombros do corpo humano é extremamente complexa, visto que permite diversos movimentos, como a flexão, extensão, abdução, adução, rotação medial e lateral, e circundução. Esse tipo de articulação compreende 3 graus de liberdade, ou seja, realiza movimentos em torno de 3 eixos.

As demais articulações são monoaxiais ou biaxiais, e assim, possuem menor grau de liberdade. Devido aos eixos e diferentes movimentos as articulações podem estalar, o que não é, necessariamente, um problema.

Saiba neste post quais são as causas do ombro estalando, quando um estalo pode ser prejudicial e a hora certa de procurar atendimento médico. Boa leitura!

Quais são as causas dos estalos nos ombros?

Primeiramente, é preciso entender que existem causas fisiológicas (comuns do próprio organismo) e causas patológicas para os estalos nos ombros. Entenda a seguir um pouco sobre algumas delas.

Causas fisiológicas

Mudança de pressão na cápsula articular

As articulações são estruturas que unem um osso a outro. Existem algumas que não realizam nenhum movimento, como as do crânio. As articuladas, como as dos punhos e joelhos, são chamadas de sinoviais. Elas possuem uma cápsula articular resistente, sendo bastante vascularizada e inervada. Além disso, essa membrana produz o líquido sinovial, essencial para a lubrificação, nutrição e para manter o deslizamento correto.

O barulho que escutamos ao esticar os dedos ou girar o ombro, por exemplo, é resultado da diferença de pressão dentro da cápsula articular. Isso acontece porque o líquido sinovial está concentrado em algum ponto e, quando a articulação é movimentada, ele passa para outro, o que gera o estalo.

É por esse motivo que, após estalar um dedo, não conseguimos estalá-lo de novo após poucos segundos. Isso porque é preciso esperar que o líquido se acumule novamente em algum ponto, o que leva alguns minutos.

Movimento das articulações, tendões e ligamentos

Como mencionado, o ombro possui diversas estruturas que permitem os mais variados tipos de movimento. Para que eles aconteçam, vários grupos diferentes são requisitados, o que pode variar de acordo com a angulação e a força utilizada.

Após retornar à posição inicial, essas estruturas precisam voltar para o seu local anatômico. Assim, é possível que um estalo seja audível quando o retorno é brusco ou o movimento necessita de grande amplitude.

Estirão de crescimento

Durante a adolescência, o organismo cresce em ritmo acelerado. Isso pode fazer com que os músculos não acompanhem o crescimento dos ossos. Assim, o tecido muscular fica menor que o ósseo, o que pode provocar estalos nos movimentos.

Se essa situação acontece com frequência exagerada durante a adolescência, é necessário procurar um médico para verificar se o crescimento e desenvolvimento estão adequados para a idade. Isso porque, caso não estejam, pode ser necessário intervir com medicação para estimular o crescimento.

Causas patológicas

Desgaste da cartilagem

A cartilagem é um tecido encontrado nas extremidades dos ossos, sendo responsável pelo deslizamento dessas superfícies. Desse modo, quando uma articulação se mexe, há um atrito mínimo entre os ossos. Além disso, a presença do líquido sinovial também contribui para um movimento sem lesão.

No entanto, existem doenças que causam o desgaste da cartilagem. Assim, em um primeiro momento, a cartilagem fica mais áspera, deixando o movimento com um atrito maior. Quando a cartilagem é destruída, os ossos se chocam, o que provoca desgastes na sua estrutura. Tanto a superfície áspera quanto o contato entre os ossos pode provocar estalos.

Esse tipo de desgaste acontece em várias doenças, como osteoartrose e o reumatismo, ou devido a traumatismos na região do ombro. Normalmente, há dor e edema associados ao quadro de estalos na região.

Síndrome do impacto

Em condições normais, existe espaço suficiente entre o acrômio (parte do osso escápula) e o manguito rotador (formado por tendões que ligam o úmero, o osso do braço, à escápula). Assim, quando o braço é levantado, os tendões deslizam facilmente abaixo do acrômio. Porém, sempre há algum grau de impacto relacionado, ou seja, fricção e compressão dos tendões, o que é fisiológico.

Dessa forma, o impacto ocorre em praticamente todos os movimentos feitos acima da altura dos ombros. No dia a dia, esse tipo de movimento não é feito com frequência, portanto, não há repercussões danosas.

No entanto, atividades repetitivas que exigem trabalho dos ombros acima de seu nível, como carregamento de peso e arremessos por atletas, podem causar inflamação nos tendões devido ao impacto constante. A compressão pode provocar estalos e dor local.

Quando procurar um médico?

Como existem causas fisiológicas para os estalos, não é necessário procurar atendimento médico quando notar que eles acontecem, mesmo que seja com frequência ou o barulho seja alto. Porém, um especialista deve ser consultado quando há dor, inchaço ou limitação de movimento relacionada aos estalos.

Isso porque a dor está presente nas causas patológicas de estalos e deve ser investigada. Nesse caso, o profissional indicado é o ortopedista. Esse médico poderá aliviar o desconforto e a dor e também descobrirá qual é a causa do incômodo. Assim, é possível fazer um diagnóstico precoce e ficar livre de um desgaste mais sério futuramente.

Como evitar os estalos?

Uma das causas de estalos frequentes pode ser o sobrepeso, uma vez que o excesso de tecido adiposo sobrecarrega as articulações e os ossos do corpo. Assim, a perda de peso pode diminuir os barulhos das articulações e melhorar a qualidade de vida como um todo.

Além disso, o alongamento muscular e o fortalecimento dos músculos também é importante. Porém, ambos devem ser feitos de forma gradual e com o acompanhamento de um profissional especializado.

Estalar as articulações pode ser prejudicial?

Algumas pessoas têm o costume de estalar os ombros, dedos e até a coluna para aliviar a tensão. Apesar de não engrossar os dedos como muitos falam, esse hábito pode comprometer as partes moles e a cápsula das articulações. Sendo assim, é melhor evitar o alongamento de forma repetitiva.

E, agora, ficou claro para você quais são as causas do ombro estalando e quando você deve se preocupar com isso? Para ficar por dentro de mais conteúdos sobre saúde como este, siga as nossas redes sociais: estamos no Facebook e no Instagram!

Sobre o autor

DR. THALLES LEANDRO ABREU MACHADO

DR. THALLES LEANDRO ABREU MACHADO

CRMMG 45.610

Graduado em Medicina pela Universidade Severino Sombra (2007), Residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital Madre Teresa (2011), Especialização em Cirurgia do Ombro e Cotovelo pelo Hospital Madre Teresa (2012). Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (2012), Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (2013). Membro da Academia Americana de Ortopedia (2016). Cirurgião do Ombro e Cotovelo dos Hospitais Vila da Serra, Unimed BH Contorno, Ipsemg. Preceptor das residências médicas dos Hospitais Unimed BH e Ipsemg. Mestrando em Cirurgia na UFMG (2018).

2 comentários

Deixar comentário.

Share This