Saúde e bem estar

Saiba quais são as lesões mais comuns no futebol amador

lesões ligamentares após futebol

A pelada, famosa demonstração do futebol amador no Brasil, é uma paixão nacional. Esse é um jogo livre, entre amigos e com muita diversão, sendo bem diferente do futebol profissional. No entanto, as lesões que acontecem nas partidas não são exclusivas de atletas.

É comum que os jogadores sofram estiramentos, fraturas, rupturas e outras lesões em um jogo de futebol amador. Isso acontece, na maioria das vezes, por falta de preparo físico e pelos contatos de grande impacto.

É usual, ainda, que elas sejam na parte inferior do tronco, como nos joelhos e tornozelos, mas também é possível sofrer lesões no ombro e cotovelo durante uma partida. Quer saber mais sobre as lesões no futebol amador mais comuns, como preveni-las e o que fazer quando elas ocorrerem? Acompanhe este texto!

Lesões mais comuns

Distensão muscular

A distensão muscular pode acontecer em práticas simples do cotidiano, como subir uma rampa. No entanto, ela é muito comum no futebol e nos esportes de forma geral e pode acontecer nos músculos dos braços, coxas e panturrilhas.

O tecido muscular tem grande potencial de se contrair e de se esticar, ou seja, regressa ao tamanho original após ser movimentado. Ele também possui bom grau de extensibilidade, sendo estirado sem sofrer lesões.

Porém, movimentos muito bruscos ou violentos podem causar um estiramento que vai além do limite suportado pelo músculo e causar uma distensão. O rompimento de fibras musculares pode ser tão grave que o músculo pode se partir. No local surge uma dor aguda e hematomas, devido ao extravasamento de sangue.

O tratamento consiste em parar a atividade física imediatamente e uso de compressas frias. Além disso pode-se usar anti-inflamatórios e analgésicos, realizando repouso até a melhora dos sintomas.

Quando não há rompimento grave de fibras, o músculo se recupera e a dor some em cerca de 1 semana. Portanto, se ela persistir por um tempo prolongado é preciso procurar ajuda médica.

Entorse de joelho

Assim como os músculos, as articulações também têm um limite de movimento. Sendo assim, quando há movimentos violentos pode surgir sobrecarga na cápsula articular e nos ligamentos.

Normalmente, essa movimentação ocorre após mudança brusca de direção no futebol, o que é muito comum nas jogadas do esporte. Ela também pode acontecer após uma queda em ângulo desfavorável.

Os sintomas incluem dor aguda, inchaço, rigidez, hematomas, vermelhidão e dificuldade para caminhar. Quando poucas fibras são danificadas, o joelho se recupera mais rapidamente e de forma natural. No entanto, o entorse de joelho pode resultar em uma lesão mais grave.

O tratamento inicial consiste em compressas frias, diminuir a amplitude de movimentos, repouso relativo e uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Se não houver melhora é preciso procurar um médico para verificar a necessidade de intervenções e fisioterapia.

Ruptura do LCA

O ligamento cruzado anterior (LCA) é uma estrutura muito comum de ser rompida durante uma partida de futebol amador, além de também acontecer em gramados profissionais. Esse ligamento faz parte da estrutura interna do joelho, mantendo-o estável e apto a realizar movimentações.

Ele pode ser lesionado de várias formas durante um jogo, como parar de uma vez, mudar rapidamente de direção, reduzir a velocidade durante corrida, apoiar os pés de forma incorreta após pular para cabecear uma bola, contato direto ou colisão com outros jogadores.

É comum que o jogador com LCA acometido sinta um estalo no joelho e sinta-o deslocar. Além disso, há dor aguda e inchaço em até 24 horas após a lesão, com posterior dificuldade para deslocar-se e sensação de falseio no joelho, visto que a articulação fica instável. Também é comum que haja danos à cartilagem da articulação, aos meniscos e em outros ligamentos.

Esse ligamento não se recupera sozinho, sendo necessário realizar cirurgia em indivíduos ativos que desejam voltar a jogar futebol. A reconstrução do ligamento é feita com apenas três pequenas incisões no joelho e realizada via vídeo com uma técnica chama artroscopia.

Após, é importante realizar fisioterapia para recuperar a amplitude de movimentos e fortalecer a musculatura, além de seguir recomendações médicas e ficar cerca de 6 meses sem jogar futebol.

Luxação do ombro

Depois de uma queda ou um encontro com outro jogador pode ocorrer a luxação do ombro, ou seja, deslocamento completo da articulação. Essa é a estrutura que mais frequentemente se desloca nas partidas de futebol e possui sintomas como inchaço, hematomas, dor intensa, dificuldade de mover o ombro e estrutura visivelmente fora do lugar.

Nesse caso, pode haver lesões ósseas ou do manguito rotador, os tendões responsáveis por movimentar o ombro. É importante procurar um médico para verificar quais estruturas foram lesadas e se será necessário realizar alguma intervenção.

Como se prevenir

As lesões que decorrem do futebol são consequência de acidentes, falta de condicionamento físico, aquecimento incorreto, não alongamento e treinos errados. Dessa forma, a prevenção consiste em realizar exercícios de aquecimento antes da partida para preparar os músculos para o esforço que virá e alongar-se de forma saudável antes e depois.

Além disso, assim como no futebol profissional, deve-se usar sapatos adequados. Jogar descalço ou com tênis que não absorverão o impacto é um fator de risco para lesionar o corpo.

Outra medida de proteção é usar caneleiras para proteger a parte inferior da perna, cobrindo toda a perna anterior abaixo do joelho. Quem jogar na posição de goleiro deve optar por luvas e uniformes acolchoados que protejam o quadril e cotovelos. Também é importante não se sobrecarregar, principalmente se o indivíduo não pratica atividades físicas em seu dia a dia.

Lembre que, como em todo esporte amador, o futebol deve ser amigável e ter espírito esportivo. Desse modo, evite criar colisões que resultarão em lesões ou jogar com indivíduos conhecidos por essas práticas.

Por fim, aguarde sempre a recuperação de uma lesão antes de voltar a jogar futebol. Essa espera é essencial para garantir que haja cicatrização adequada e o machucado não se torne crônico ou evolua para algo mais grave. Nenhum jogo é tão importante quanto o bem-estar físico e a saúde!

Lesões no futebol amador são muito comuns e precisam de tratamento correto. Compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude outros apaixonados por pelada!

Sobre o autor

DR. EDUARDO LOUZADA DA COSTA

DR. EDUARDO LOUZADA DA COSTA

CRM - MG 46.264

Graduação em Medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Especialização e pós graduação em Cirurgia do Joelho (FELUMA), Mestrado em Cirurgia na Faculdade de Medicina da UFMG, Fellow em Sports Medicine na Stanford University (California - USA), Coordenador do serviço de Cirurgia do Joelho do Hospital da Unimed - BH. Preceptor da Residência Médica do Hospital da Unimed - BH.

Deixar comentário.

Share This