Joelho

O que fazer em caso de dor no joelho? Conheça as causas e tratamentos!

Do ponto de vista funcional e anatômico, o joelho é a articulação mais complexa do corpo humano. Ele é considerado a articulação intermediária dos membros inferiores, visto que está localizado entre o tornozelo e o quadril. A sua principal responsabilidade é absorver os impactos das pernas, estabelecendo estabilidade para a marcha, além de propiciar diferentes movimentos.

É por esse motivo que o joelho é a segunda articulação do organismo mais acometida por lesões, perdendo somente para o ombro. O sintoma mais relatado é a dor no joelho, que pode ser acompanhada por edema, calor, vermelhidão e rigidez.

Existem diversas causas para a dor no joelho. É importante conhecê-las e saber identificar o problema para buscar tratamento precoce. Pensando nisso, preparamos este post para que você saiba quais são as principais causas de dor no joelho. Confira!

Condromalácia patelar

A patela é o pequeno osso localizado na região anterior do joelho. A parte “condro” da palavra faz referência à cartilagem, enquanto a parte “malácia” quer dizer amolecimento. Desse modo, a condromalácia é um amolecimento da parte cartilaginosa da patela.

O amolecimento tem grande potencial de evoluir para uma total destruição, visto que esse tipo de tecido tem dificuldade de cicatrização e regeneração. Isso acontece, principalmente, porque a cartilagem é um tecido sem vasos e de poucas células.

O seu principal sintoma é uma dor forte na frente do joelho, que é agravada por movimentos como subir e descer escadas, ajoelhar e saltar. Ainda não há consenso sobre as causas da condromalácia patelar, mas acredita-se que esforços repetitivos da articulação do joelho podem propiciar o seu aparecimento. O trauma local também pode lesar a patela, provocando a doença.

O tratamento é feito basicamente com fisioterapia para fortalecer os músculos das pernas e do quadril, de modo que a articulação do joelho não seja sobrecarregada. Além disso, deve-se evitar esportes que realizam movimentos repetitivos com os joelhos. Para alívio da dor podem ser usados analgésicos e anti-inflamatórios prescritos pelo ortopedista.

Artrose

A artrose é uma doença inflamatória e de caráter degenerativo que acontece em todas as articulações do organismo, sendo prevalentes naquelas que suportam peso, como a dos joelhos. A partir dos 60 anos estima-se que todas as pessoas tenham sinais de artrose aos raios-X, mesmo que os sintomas não se manifestem.

A dor progressiva na articulação do joelho é o primeiro sintoma, sendo que ela se acentua quando a pessoa realiza alguma atividade física. Além disso, pode ocorrer derrame articular, o que deixa os joelhos edemaciados.

O tratamento consiste em exercícios sem impacto direto ao joelho, como a hidroterapia. Além disso, pode ser recomendado que o paciente fortaleça os músculos da perna, quadril e coluna, para evitar que todo o peso do corpo seja concentrado nessa articulação.

Em alguns casos, o médico pode indicar a reposição artificial do líquido intra-articular, chamado sinovial, por meio de injeções de ácido hialurônico dentro do joelho. O objetivo é devolver a sua viscosidade, o que protege a cartilagem e melhora a mobilidade. Assim, também é possível diminuir a dor.

Lesão de LCA

O ligamento cruzado anterior (LCA) é uma das estruturas que mais facilmente se rompem no joelho. Ele está localizado no interior da articulação e se cruza com o ligamento cruzado posterior formando um X. A função de ambos é realizar a movimentação do joelho para a frente e para trás.

Além disso, o LCA impede que a tíbia se desloque para a frente do fêmur durante os movimentos e confere estabilidade para a rotação do joelho. Existem diferentes graus de lesão do ligamento cruzado anterior, mas normalmente todas são causadas por trauma, que pode ser um impacto durante um jogo de futebol, apoio dos pés incorretamente após um salto e redução brusca durante uma corrida, por exemplo.

Na distensão de grau 1, o ligamento foi estirado, mas ainda consegue manter a estabilidade do joelho. No grau 2, o estiramento é mais grave e causa a ruptura parcial do ligamento. Já no grau 3 há ruptura total do ligamento, o que torna a articulação do joelho instável.

Quando isso ocorre, a dor no joelho é o principal sintoma, normalmente persistindo em todos os movimentos em que o LCA seria necessário. Além disso, joelho deslocado, edema e diminuição da amplitude de movimento estão associados.

O grau 1 é tratado com fisioterapia e anti-inflamatórios na maioria dos casos. Como a lesão de grau 2 é muito rara, é mais comum que os pacientes apresentem o grau 3. Nesse caso, o ligamento não se regenera. Desse modo, é necessário realizar cirurgia para religar as suas pontas e recuperar a função normal do joelho.

Tendinite e bursite

A tendinite é a inflamação do tendão, enquanto a bursite é a inflamação da bursa, estrutura cheia de líquido que fica dentro da articulação do joelho para protegê-la de impactos e desgastes. A mais prevalente é a bursite anserina, também conhecida como “pata de ganso”. Essa bursa é localizada imediatamente abaixo do joelho, na parte medial da tíbia e por baixo do tendão.

A causa mais comum dessas inflamações são os movimentos repetitivos, que podem ocorrer tanto ocupacionalmente quanto na prática de esportes. Pessoas que passam muito tempo sentadas, se apoiam por longos períodos nos cotovelos ou nos joelhos, lançam bolas ou levantam peso de modo repetitivo são candidatas para essa patologia.

O principal sintoma é a dor que se acentua quando há movimentação dos joelhos, como subir escadas, por exemplo. Inchaço, vermelhidão e calor na região também são comuns e representam os sinais da inflamação.

O primeiro passo para tratar a bursite e a tendinite é repousar o membro afetado e aplicar compressa fria no local. Para aliviar a dor pode-se erguer o joelho e usar remédios anti-inflamatórios. A fisioterapia, nesse caso, é uma ótima alternativa, visto que há diminuição da sobrecarga sobre as estruturas inflamadas.

A dor no joelho é uma queixa comum e pode acontecer em qualquer idade. Quando ela ocorre por tempo superior a três dias é preciso procurar atendimento médico a fim de diagnosticar o problema precocemente. Como as causas são variadas, somente um profissional especializado pode indicar o melhor tratamento para o paciente, visto que as condutas são personalizadas.

O médico ortopedista é o especialista que melhor pode atendê-lo. Se você sofre com dores no joelho, entre em contato conosco e marque uma avaliação!

Sobre o autor

DR. EDUARDO LOUZADA DA COSTA

DR. EDUARDO LOUZADA DA COSTA

CRM - MG 46.264

Graduação em Medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Especialização e pós graduação em Cirurgia do Joelho (FELUMA), Mestrado em Cirurgia na Faculdade de Medicina da UFMG, Fellow em Sports Medicine na Stanford University (California - USA), Coordenador do serviço de Cirurgia do Joelho do Hospital da Unimed - BH. Preceptor da Residência Médica do Hospital da Unimed - BH.

Deixar comentário.

Share This