Saúde e bem estar

Você sabe o que é fibromialgia? Entenda tudo sobre essa doença!

fibromialgia

Você sabe o que é fibromialgia? Síndrome que causa, principalmente, dor crônica por todo o corpo, ela é uma condição muito desacreditada, trazendo ainda mais transtornos para a vida de quem convive com esse quadro diariamente.

Pessoas fibromiálgicas têm suas relações pessoais, afetivas e profissionais comprometidas, além de sua rotina.

A fim de trazer mais informações, criamos este post para esclarecer tudo sobre essa doença, incluindo suas causas, sintomas e quais os tratamentos mais indicados. Acompanhe agora e conheça mais sobre essa patologia.

O que é fibromialgia

A fibromialgia é uma síndrome que tem como principal característica o surgimento de dores em diversas partes do corpo. Manifestando-se de forma não localizada, a dor migra para várias partes do corpo, especialmente nas articulações e tendões.

Relacionada ao funcionamento do sistema nervoso central e como ele reage diante de manifestações dolorosas, a fibromialgia não traz consequências mais graves, pois não gera deformidades físicas nem paralisias. Entretanto, por causa das dores constantes — e outros sintomas e doenças relacionadas — gera grande perda na qualidade de vida do paciente quando não tratada corretamente.

Outro agravante da fibromialgia é o fato de ainda ser considerada por muitos como uma doença psicológica, fazendo com que o paciente percorra diversas especialidades médicas sem obter nenhum diagnóstico definitivo, levando-o muitas vezes a acreditar que as dores são apenas “coisas da sua cabeça”.

Atingindo uma proporção muito maior de mulheres que de homens, especialmente as que estão entre os 35 e 50 anos, acredita-se que esse fato esteja ligado à baixa produção da serotonina.

Esse neurotransmissor tem papel importante no organismo, sendo grande influência na produção de hormônios, no ritmo cardíaco, no sono e nas funções fisiológicas. Nas mulheres, a sua produção é naturalmente menor que nos homens, o que contribui também para problemas de depressão, enxaqueca, transtornos de humor, especialmente durante o período de TPM (tensão pré-menstrual).

Devido a todos esses fatores, a fibromialgia é uma doença que causa muita descrença por parte das pessoas que convivem com um paciente nessa condição e até mesmo por alguns membros da área da saúde.

De difícil diagnóstico, a fibromialgia pode, inclusive, ser confundida com outras doenças reumáticas, dificultando ainda mais o seu tratamento.

Como é feito o diagnóstico

Mesmo com tantos avanços na medicina, ainda não há exames laboratoriais que comprovem diretamente a fibromialgia. Por conta disso, seu diagnóstico é feito tendo como base exames físicos, relato do próprio paciente e exclusão de outras doenças similares, como a polimialgia reumática, o hipotireoidismo, entre outras.

É considerada fibromiálgica a pessoa que apresenta dor difusa por mais de três meses e sem motivo aparente, ou seja, dores que não foram causadas por traumas ou lesões musculares. 

Os pontos dolorosos também são determinantes para chegar a um diagnóstico. O paciente fibromiálgico apresenta dor especialmente em pontos localizados acima da linha da cintura, de forma simétrica e bilateral, tais como nuca, parte externa dos cotovelos e escápulas. Contudo, outras partes também são afetadas, como a região da coluna torácica, as nádegas, a bacia, os joelhos, os ombros e a região lombar.

Considerada uma síndrome porque junto com ela diversas outras doenças e sintomas acabando surgindo, a manifestação dessas outras patologias também é considerada para finalizar o diagnóstico, como:

  • síndrome do intestino irritável;
  • síndrome das pernas inquietas;
  • depressão;
  • ansiedade.

Sintomas da fibromialgia

Tendo como principal característica e sintoma a dor, a fibromialgia não se resume apenas a essa manifestação. Até mesmo a dor provocada por ela tem aspectos bem próprios.

Ao contrário das dores agudas que geram reações fisiológicas (por exemplo, gritos), a dor provocada pela fibromialgia é crônica, fazendo com que o paciente se adapte a ela, conseguindo, muitas vezes, realizar todas as funções do seu dia a dia.

Justamente por causar essa adaptação, os pacientes aparentam não estar sentindo nada, colaborando para que as pessoas ao redor não deem crédito às suas queixas.

Entretanto, mesmo adaptada, a pessoa com fibromialgia possivelmente está apresentando outros sintomas, como:

  • fadiga crônica;
  • cansaço e falta de energia, mesmo sem nenhum esforço físico;
  • alterações no sono ou sono não reparador;
  • rigidez matinal;
  • falta de concentração;
  • problemas de memória;
  • sensibilidade ao urinar;
  • cefaleia;
  • formigamento ou dormência nos membros inferiores e superiores;
  • palpitações;
  • distúrbios psicológicos e emocionais.

Causas da fibromialgia

Não há uma causa específica que desencadeie a fibromialgia. De modo geral, seu surgimento está relacionado aos baixos níveis de serotonina, fazendo com que o cérebro de uma pessoa fibromiálgica tenha uma manifestação maior à dor que pessoas com níveis normais desse hormônio.

Entretanto, alguns fatores podem ser considerados gatilhos para o seu início, como genética, traumas físicos ou psicológicos, lesões causadas por acidentes e até mesmo algumas infecções.

Após sua primeira manifestação, o paciente com fibromialgia pode alternar períodos sem qualquer sintoma com períodos de crise. Para esses períodos acredita-se que alguns pontos podem ser desencadeantes:

  • estresse;
  • tensão;
  • alterações no clima;
  • noites maldormidas;
  • problemas que causam abalo emocional.

Tratamentos indicados

Infelizmente, a fibromialgia ainda não tem cura. Contudo, com o acompanhamento médico adequado, medicações e atividades físicas, é possível reduzir consideravelmente as dores e ter novamente qualidade de vida.

O tratamento para a fibromialgia é multidisciplinar, podendo envolver clínico geral, reumatologista, neurologista e psicólogo.

De modo geral, a fibromialgia é controlada com as seguintes ações:

  • uso de analgésicos, anti-inflamatórios ou relaxantes musculares para alívio das dores;
  • antidepressivos e neuromoduladores que agem no SNC;
  • acompanhamento psicológico;
  • atividade física regular;
  • fisioterapia;
  • tratamentos alternativos, como acupuntura, massagem, meditação ou ioga;
  • mudança na dieta, com a inclusão de alimentos ricos em potássio, ômega 3 e magnésio.

Também é indicado ao paciente com fibromialgia evitar:

  • situações que aumentem o estresse;
  • ir além de seus limites físicos;
  • carregar peso;
  • exposição a ambientes frios;
  • condições que atrapalhem a qualidade do sono, como luz e barulho;
  • permanecer sentado ou na mesma posição por muito tempo.

Saber o que é fibromialgia, assim como outras doenças, é importante não apenas para si mesmo como para ajudar outras pessoas.

Buscar conhecimento e esclarecimentos sobre condições que comprometam o bem-estar é fundamental para saber o que fazer para ter novamente qualidade de vida.

Sobre o autor

DR. THALLES LEANDRO ABREU MACHADO

DR. THALLES LEANDRO ABREU MACHADO

CRMMG 45.610

Graduado em Medicina pela Universidade Severino Sombra (2007), Residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital Madre Teresa (2011), Especialização em Cirurgia do Ombro e Cotovelo pelo Hospital Madre Teresa (2012). Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (2012), Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (2013). Membro da Academia Americana de Ortopedia (2016). Cirurgião do Ombro e Cotovelo dos Hospitais Vila da Serra, Unimed BH Contorno, Ipsemg. Preceptor das residências médicas dos Hospitais Unimed BH e Ipsemg. Mestrando em Cirurgia na UFMG (2018).

Deixar comentário.

Share This